Início » Carta Aberta – 300 mil histórias

Carta Aberta – 300 mil histórias

por FEBAB
1.744 visualizações

No dia 17 de março de 2020 tivemos a primeira morte por Covid-19 registrada no Brasil. Agora, pouco mais de um ano depois atingimos a triste e dolorosa marca de mais de 300 mil histórias encerradas por esta pandemia que vem assolando o mundo e mais fortemente o nosso país.

Nesse momento, e, talvez, mais do que nunca na história da Biblioteconomia Brasileira torna-se imperativo que assumamos nosso compromisso ético e humanista como profissionais da informação.

É nosso dever promovermos informações validadas e comprovadas com base em estudos científicos avaliados por pares, bem como torná-las compreensíveis, com uma linguagem acessível e compartilhá-las de modo a alcançar o maior número de espaços.

É em tempos como este, em que percebemos que nossas instituições governamentais falham e que os valores sociais se degradam, que as bibliotecas e bibliotecários(as) devem contribuir com a construção de uma sociedade consciente e informada.

Vamos usar os recursos que dispomos! Nas redes sociais podemos combater as fake news, desde nosso núcleo familiar, amigos, usuários das bibliotecas, gestores públicos, enfim, reverberar para toda a comunidade.

Jamais devemos nos calar diante de discursos que não apresentem dados e fatos que possam ser comprovados! Jamais devemos aceitar que dados, mesmo que verdadeiros, sejam desvirtuados de seu contexto de origem!

Vamos abrir o diálogo contra as fake news!

Fiquem atentos e estejam disponíveis, na medida do possível, para somar todos os esforços em prol das populações em vulnerabilidade, e busquem estar com aqueles que estão cuidando das pessoas (sejam grupos, instituições, entre outros). Dessa forma, a voz contra as fake news também poderá ser ampliada.

Precisamos reverberar informações sobre os protocolos sanitários (uso de máscaras, distanciamento social, higienização das mãos e só sair de casa se for extremamente necessário). É um esforço coletivo, em torno de informações verídicas sobre estas medidas, que diminuirá o número de óbitos enquanto aguardamos a vacina.

E, por fim, vamos nos inspirar com as ideias do professor David Lankes e agir(1):

"Todos nós queremos viver num mundo melhor, mas para isso, todos devemos nos dedicar para criar um mundo melhor. O papel dos bibliotecários é especial aqui. Eles se dedicam ao conhecimento. Estão dedicados e inseridos dentro de comunidades. São profissionais que podem promover um debate civilizado sobre como podemos nos reunir para pensarmos melhor. Fazemos isso via engajamento e não guardando livros. Fazemos isso criando conexões e não coleções. Fazemos isso por dedicação aos valores que nos sustentam há centenas de anos e à constante reinvenção do nosso propósito."

Precisamos de toda a classe bibliotecária unida no combate às fake news. Juntem-se a nós por um mundo melhor!

Diretoria Executiva da FEBAB – Gestão 2020-2023

#bibliotecasporummundomelhor | #VacinaJá |  #UseMáscara |  #ValorizeoSUS

(1) LANKES, David. Bibliotecários construindo o novo normal. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 17, 2021. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/1573/1248. Acesso em: 25 mar. 2021.

Textos Relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.